Quero Ser Cantor (SOS 96)

Adolpho Guiroto

Com um chapéu coco e o bag nas costas
Sigo rumo pra grande SP
Realizar meu sonho e o de todo mundo:
Fazer um hobby que pagam pra ver

Em cabines de caminhões feito um moribundo
Sinto que estou perto do meu lugar.
Então o motorista pede uma palinha
Não resisto muito e começo a cantar

Deus, meu Deus, meu Deus
Quero ser cantor.
Ouça a minha prece, venha me ajudar.
Canto qualquer ritmo seja ele qual for
Me de asas e eu posso voar.

Da cabine à praça: a vida é assim.
Eu estava ali mas não me viam lá.
Então respirei fundo e abri o bico:
Se não me ouvem, Ah, eu vou gritar!

Deus, meu Deus, meu Deus
Quero ser cantor.
Ouça a minha prece, venha me ajudar.
Canto qualquer ritmo seja ele qual for
Me de asas e eu posso voar.

Enquanto eu gritava se aproximou
Um guarda que ali estava para patrulhar
E pra não dar de cara fim de carreira
Ah, eu comecei a assoviar...

Deus, meu Deus, meu Deus
Quero ser cantor.
Ouça a minha prece, venha me ajudar.
Canto qualquer ritmo seja ele qual for
Me de asas e eu posso voar. 2x

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (2)

Fotos (48)

Clipes (3)

Release

Adolpho canta desde os 15 anos na noite e mais recentemente vem trabalhando num projeto autoral solo. Foi integrante durante mais de 3 anos na banda SOS '96 - sucesso de acessos no PalcoMP3 e continua vocalista da banda Kako de Telha performando em variados eventos na região paranaense. Bota sua voz pra fora pra cantar qualquer coisa que sinta em forma de música. Suas composições refletem as ânsias de uma geração jovem que se sente deslocada em busca de um lugar pra si no mundo. Músicas como "Dias de Cão", "Fracasso", "Penumbra" refletem diretamente as ansiedades de uma mente caótica que traduz a dor em melodia.