Carranza!

EstiloRock
Cidade/EstadoRecife / PE
Plays52.027plays

Música em destaque

Sistema Natural
VER TODAS AS MÚSICAS
Ver mais vídeos

Comunidade

OuvintesRuan Lara e outros 155 ouvintes
Fã-clubekennedy Kyofu e outros 14 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Willson DurandProgramações, Bateria
Claudio BastosVoz
Harryson MouraVoz
Ver mais integrantes

Release

Após retornar à cena musical em 2015, e lançar o meio disco Santa Morte (vencedor do Prêmio de Música Pernambucana 2017, na categoria melhor disco de rock), o Carranza lança em 2019 o seu segundo disco: A Lenda do Homem que engoliu o Sol. O projeto marca os 20 anos do grupo, criado em 1999, e por isso conta com a participação de grandes nomes da cena musical pernambucana e nacional, como Gilú Amaral (Orquestra Contemporrânea de Olinda); Ylana Queiroga,DJ KSB, (dos áureos tempos do Faces do Subúrbio), nos scratchs, Marcelo Pompi (ex-Carfax e Carranza) e Maurizio Gonzalle (Ataque Suicida). Marca presença nesse trabalho o vocalista e fundador do Pavilhão 9, Rhossi, um dos principais nomes do Rock e do Hip Hop Nacional e uma de nossa maiores influências. Em gestação desde o início de 2018, o disco está em todas as plataformas digitais de streaming através da Tratore. A produção musical d’A Lenda do Homem que engoliu o sol ficou a cargo de Eduardo Braga, enquanto a masterização refinada conta com a assinatura de Buguinha Dub, que tem no currículo trabalhos com Nação Zumbi, Baiana System e Black Alien. A concepção artística visual é de Henrique Albuquerque, designer pernambucano, que, atualmente, reside no Canadá.

Simultaneamente à liberação dos streamings, cada faixa tem seu liric vídeo que pode ser conferido nas redes sociais da banda e tiveram a assinatura do motion designer Marcelo Silva com colaboração dos artistas plásticos Guga Baygon, Marcelo Pompi e Rodrigo Bittencourt.

Com batidas pesadas e letras contundentes, A Lenda do Homem que engoliu o sol é um estudo sobre as opressões humanas na sociedade moderna. De forma lúdica, o trabalho expõe a incansável busca do cidadão moderno pelo lugar ao sol, símbolo máximo da nossa sociedade. O topo do Status quo, que nos remete à luz, à vida. Em contrapartida, essa busca desenfreada também cobra seu preço. E por isso, o disco levanta importantes debates para o mundo atual, questionando os efeitos colaterais dessa corrida pelo todo do mundo, que podem ser sentidas
desde a degradação da natureza e o superaquecimento até a pressão social e psicológica recebidas como fardo pelos seres humanos.

Ainda com o intuito de marcar os 20 anos da banda, serão lançados artigos específicos com marca do disco, como uma camisa Jersey no estilo NBA; um rótulo especial de cerveja artesanal em parceria com uma cervejaria pernambucana; além de uma prancha de surf personalizada que será alvo de uma ação de marketing entre os seguidores da banda nas mídias sociais.

A BANDA – Completando 20 anos desde que começou a tocar nos palcos pernambucanos, a Carranza tem, em sua formação, Claudio Bastos e Harrysson Moura nos vocais; Chico Tchê no baixo e Willson Durand na bateria e programações.

Playlists relacionadas

Contrate

Claudio Bastos

(81) 8832 - 9693 | (81) 98832 - 9693www.carranza.com.br

Carranza!

EstiloRock
Cidade/EstadoRecife / PE
Plays52.027plays
Tamanho
Imprimir

Tempo Cego

Composição: Claudio Bastos, Harryson Moura, Julianno Ramalho, Chico Tchê, Bruno Montenegro.

NA NOITE ESCURA, CALADA, RESPIRA O AR QUE SECOU, SAIU DO MEIO DA MATA, UM VULTO NO PEITO PASSOU, DE UMA PAREDE FECHADA, DENTRO DO PEITO ENCAIXADA, SEGUE TENTANDO SENTIR, ALGO QUE CONSIGA OUVIR. FALANDO TANTO DE IDÉIAS, DE FLORES E TAIS PENSAMENTOS, RESPIRA AREIA A TRAQUÉIA, DO TEMPO UM SÓ MOVIMENTO, NO FIO SUTIL DA ENXADA, COM SENTIMENTO E SENTIDO, UM MUNDO BOM DE VIVER, TAL QUAL TIVESSE EXPLODIDO! ENQUANTO FERVE O SOL, DA MASSA O ESFORÇO EM PROL, E O TEMPO É CEGO E SÓ, COMO UM ANZOL QUE TE PUXA DA VIDA, ENQUANTO FERVE O SOL, DA MASSA O ESFORÇO EM PROL, E O TEMPO É CEGO E SÓ, COMO UM ANZOL QUE TE PUXA DA VIDA. NA NOITE ESCURA, CALADA, RESPIRA O AR QUE SECOU, SAIU DO MEIO DA MATA, UM VULTO NO PEITO PASSOU, DE UMA PAREDE FECHADA, DENTRO DO PEITO ENCAIXADA, SEGUE TENTANDO SENTIR, ALGO QUE CONSIGA OUVIR. FALANDO TANTO DE IDÉIAS, DE FLORES E TAIS PENSAMENTOS, RESPIRA AREIA A TRAQUÉIA, DO TEMPO UM SÓ MOVIMENTO, NO FIO SUTIL DA ENXADA, COM SENTIMENTO E SENTIDO, UM MUNDO BOM DE VIVER, TAL QUAL TIVESSE EXPLODIDO! ENQUANTO FERVE O SOL, DA MASSA O ESFORÇO EM PROL, E O TEMPO É CEGO E SÓ, COMO UM ANZOL QUE TE PUXA DA VIDA, ENQUANTO FERVE O SOL, DA MASSA O ESFORÇO EM PROL, E O TEMPO É CEGO E SÓ, COMO UM ANZOL QUE TE PUXA DA VIDA. E A CADA LUTA VITÓRIA, A CADA VIDA ESPERANÇA, EM CADA PARTO E PARTIDA, EM CADA CASA E ESQUINA, HÁ DE HAVER COMPAIXÃO, SENTIMENTO DO MUDANÇA, A CADA MOMENTO DIFÍCIL O SORRISO DE UMA CRIANÇA. PODER ENCARAR A MORTE DE CABEÇA ERGUIDA, PENSAR SOBRE TUDO, OLHAR DE FRENTE PRA VIDA, JAMAIS RETROCEDER, TAMBÉM RENDER-SE JAMAIS, E ASSIM ENTÃO COMO UM MONGE, PODER ENCONTRAR A PAZ. ENQUANTO FERVE O SOL, DA MASSA O ESFORÇO EM PROL, E O TEMPO É CEGO E SÓ, COMO UM ANZOL QUE TE PUXA DA VIDA, ENQUANTO FERVE O SOL, DA MASSA O ESFORÇO EM PROL, E O TEMPO É CEGO E SÓ, COMO UM ANZOL QUE TE PUXA DA VIDA.

16.735

plays

Comentários

Filtrar Por:

Playlists relacionadas à musica

Home