Imagem de capa de Filosofia de Rua
Filosofia de Rua

Filosofia de Rua

Cidade/EstadoSão Paulo / SP
Plays320.485plays
Tamanho
Imprimir

Dona Da Dor Feat. Marrom (Dshow Beats)

Composição: Big Ugli C.I.

Quando eu nasci, se é que eu nasci, alguém chorou muito Não foi de alegria, nem de euforia, e sim pelo luto E desde então, onde tem um coração tem sido Por onde quer que passo, sem embaraço, acumulo inimigos Não sei por que fui criada, se só trago desgosto E dizer que sou um acaso é o que mais ouço Questiono Deus, que talvez menos culpa tenha Lágrimas de sangue enquanto o autor do disparo desdenha Se eu tivesse voz, diariamente eu pediria “desculpa” A todos que por minha causa mudaram o curso de sua vida Sei que só gero revolta e pra sempre será assim Acredite que o mundo seria bem melhor sem mim Sei que infelizmente, a perda do ente É algo deprimente, muda a vida da gente Não, eu não sabia que faria tanto mal Disparo irracional que abala o emocional Destruo sonhos, reais, reais Coloco um ponto final Ontem à noite, fiz mais duas vítimas fatais Uma criança, uma idosa, que descansem em paz Paz, sentimento que destruo em pedaços Impossível ter paz por onde eu passo Uma vez uma mãe disse algo que me abalou Que meu nome deveria ser: Dona da Dor E um pai, em prantos, disse que em qualquer lugar do mundo Eu podia ser relacionada a tudo Que lembrasse decepção, indignação e revolta E o que pensa a respeito, na real, pouco importa Só queria que sua tristeza não fosse por minha causa Sei que pra mim nunca haverá uma salva de palmas Sei que infelizmente, a perda do ente É algo deprimente, muda a vida da gente Não, eu não sabia que faria tanto mal Disparo irracional que abala o emocional Destruo sonhos, reais, reais Coloco um ponto final Mesmo que eu coloque fim em quem muito mal fez Heroína, justiceira, status que jamais terei Perdão se vale a pena pedir não sei Só desejo que o Deus de amor conforte vocês Que pela minha existência perderam a razão de viver Prefiro crer que o que aconteceu é porque tinha que acontecer Vida que segue, recomece, de onde parou Espere na justiça Divina um outro mano falou Que pelo mundo todo pude perceber Que a dor é a mesma assim como o sofrer É igual independente do tom de pele Sou aquela que interrompe e sem misericórdia interfere Sei que infelizmente, a perda do ente É algo deprimente, muda a vida da gente Não, eu não sabia que faria tanto mal Disparo irracional que abala o emocional Destruo sonhos, reais, reais Coloco um ponto final..

217

plays

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário

Playlists relacionadas à musica