A Lama

Juliano Guerra

De tanto rezar, domingo
Enfim eu fui atendido
E me consolei chorando
E me arrependi sorrindo
E passado mais um ano
Escapei de mais um tiro
Que eu mesmo me dei na boca
De um inimigo antigo
Que é esse mal que assombra
Meu espelho, o teu vestido

A lama é bonita, amigo
A lama é bonita, irmão
A lama é um abrigo
A lama é a solução
A lama é bonita, amigo
A lama é divina, irmão
A lama casou comigo
A lama e meu coração

Minha irmã me cheira a boca
Eu perco mais um amigo
Que disse pra eu ter cuidado
Ou quis se arriscar comigo
Tanto faz qualquer perigo
Tanto faz a vida à toa
Eu não posso ser culpado
Se já nem posso ir à rua
E eu peço é algum sossego
Uma outra dor menos crua
Se a vida já não pertence
Aos santos que a vida curra
Que ao menos lhes diga:
"moço, se aguente que a morte é sua"

Músicas mais acessadas

Álbuns e Singles/EPs  (3)

Fotos (7)

Clipes (2)

Release

Juliano Guerra (Canguçu, 1983) é compositor,
intérprete e músico. Desde o final da década de 1990,
participou de projetos como a banda de rock Revel e o
quinteto de choro e samba Noesis, até começar carreira
solo.
Lama, seu primeiro álbum solo, foi lançado em
agosto de 2012 e mescla ritmos tradicionais brasileiros como
bolero, samba e bossa nova com referências e instrumentos
musicais menos usuais. O disco, lançado em shows nas regiões sul e nordeste, obteve
excelente repercussão na imprensa local e nacional. Dois singles do álbum – as canções
Inclemente e Transeunte – foram lançados em videoclipes.
Durante os anos de 2013 e 2014, Juliano se dedicou a colaborações com outros
artistas, lançadas online, como singles, e também às gravações de seu segundo disco solo, Sexta-Feira.
O álbum foi inteiramente ...

Continuar lendo>>