DE MATES E MILONGAS

Eron Carvalho/Luis Carlos Ranoff (Ithi)

Cevando um mate solito
Converso com meus segredos
Que a alma velha ainda guarda
Sem artifícios nem medos

Depois de lavar a erva
Sinto que a noite se alonga
E trás pra ao redor do fogo
A pampa em tom de milonga

Milonga é alma e garganta
Milonga é a voz do galpão
Milonga é a rima que encanta
A charla ao pé do fogão
Trazendo a paz que acalanta
As penas do coração

Como faz pra um campeiro
Depois de parar rodeio
E vara a noite por diante
Perdido num bordoneio

Quando uma guitarra chora
Nas mãos rudes de um campeiro
É o Rio Grande que renasce
Nos versos de um guitarreiro

Músicas mais acessadas

Fotos (1)

Release

Músico desde os 12 anos, Antonio Fontoura cantou diversos estilos até se identificar e se apaixonar com a música nativista. Começou em parceria com seu grande amigo, o professor e advogado Eduardo M. Frizzo, que já na primeira gravação enviada a um festival gaúcho, integrou o CD e DVD.
Dentre os festivais regionais que Antonio participou ressaltam-se, \"5º Canto Missioneiro\" e “2ª Chama da Canção Gaúcha”.
Em suas andanças, já dividiu o palco com artistas de outros países como César Sosa (Harpa - Argentina) e Zé Dutra (Bandoneón - Argentina).
Em 2011, lançou seu primeiro CD intitulado “Assim me ponho a cantar”, na cidade de Cruz Alta-RS, pelo estúdio “A Casa do Som”, de Sabani Felipe de Souza. A obra teve apoio de renomados músicos e poetas como: Fabiano Bacchieri, Adams ...

Continuar lendo>>