Cássia Martins

EstiloPop
Cidade/EstadoJataí / GO
Plays144plays

Comunidade

OuvintesAilton Rodrigues Perez e outros 1 ouvintes
Fã-clubeGustavo Henrique Morais e outros 1 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário
Imagem de Cássia MartinsCássia MartinsVoz, Violão

Release

Olá, eu sou a Cássia...

Estudante de Direito, faço 22 anos em agosto, trabalho como estagiária, e ainda me faltam dois anos para me formar.

A música sempre foi algo que me influenciou bastante em todos os aspectos. Quando eu ouço uma música, eu não estou simplesmente escutando o barulho, eu estou vivendo aquela melodia, estou vivendo aquela letra naquele momento. Por isso, eu sempre ouço as músicas de acordo com o momento que eu estou passando.

A minha primeira apresentação musical foi em 2008, na escola onde eu estudava na época (IFG - Jataí). E não tocava instrumentos ainda, eu só cantava - e bem mal, pra ser honesta. Era um evento, uma "competição musical", quem coordenava era o Sr. Falcão Neto, que trabalhava na unidade. Após essa apresentação, o Sr. Falcão me deu um ultimato, que era o de aprender a tocar algum instrumento, qualquer um. Isto porque ele acreditava que eu tinha um dom natural para a música. Eu analisei cuidadosamente o som de cada instrumento daquele dia em diante, até me decidir que eu iria aprender a tocar violão.
comecei a tocar em outros lugares. Eu fazia participações com cantores locais em barzinhos e festas na minha cidade, e nessa época eu estava numa onda sertaneja. Até que me surgiu a oportunidade de fazer a abertura de uma festa que começava sua sequência naquela época, era a primeira edição de Repúblicas Fest, que hoje é uma tradição anual na cidade.

O público era aproximadamente duas mil pessoas. Eu estava atrás do palco, o público me chamava impaciente. Eu subi no palco com meu violão, e o cajonista que eu tinha contratado. Eu comecei a cantar a primeira música ("ai se eu te pego" - Michel Teló), e logo entraram mais dois músicos no palco que fariam o show posteriormente. As pessoas cantavam junto, aplaudiam, dançavam... Aquela foi uma das sensações mais boas que eu já vivenciei na vida. Depois desse episódio, cantei por mais algum tempo em barzinhos, e logo comecei a fazer cursos, trabalhar, e aí a vida foi ficando mais corrida e o circlo mais estreito. Nessa ápoca, acabou minha "onda sertaneja", e eu comecei a curtir rock gótico, rock melódico, e grounge.

Em 2012 comecei a fazer o curso de Direito e a trabalhar em uma empresa grande, e esse foi o ponto final da minha vida que esbanjava tempo livre. Passei a não dispor mais de tempo para ensaios, renovação de repertórios e muito menos de showzinhos.

Atualmente não canto mais em barzinhos nem em festas, canto pra mim, pra alimentar minha alma, pra cultivar meu desejo...

Muitas coisas eu disse aqui, para não deixar o texto chato. Mas se tem uma coisa que a minha vida nunca foi, é chata.

Playlists relacionadas

Contrate