Choro Novo

EstiloChoro
Cidade/EstadoRio de Janeiro / RJ
Plays31.450plays
Ver mais vídeos

Comunidade

OuvintesJosegoulart8638 e outros 170 ouvintes
Fã-clubewlisses Barbosa e outros 7 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário

Release

"Sotaques & Influências"
Por Fábio Marrone
(Modern Drummer Brasil)
"O Choro se consagrou como a primeira forma originalmente urbana de música instrumental brasileira, graças a grandes compositores com suas magníficas obras. Só para citar alguns: Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Waldir Azevedo. Mas o que isso tem a ver com bateria? Música!

Uma nova roupagem para o que antes era tocado só com um pandeiro, ganhando em ritmo e arranjo. O Choro adquiriu esta nova roupagem graças a grupos como o Choro Novo. A cada dia que passa a bateria se torna um instrumento popular neste segmento tão maravilhoso.

O grupo Choro Novo é formado por três músicos: Abel Luiz, Marlon Mouzer e Reinaldo Pestana. Eles se reuniram nas horas vagas para tocar e passear pelas diversas vertentes com a linguagem do Choro. Deu tão certo que montaram o Choro Novo. Reinaldo é um músico muito experiente e já trabalhou com artistas de alto nível, tais como Bebeto (cantor de samba rock), Claudia Holanda, Patricia Mellodi, Denise Reis, Claudio DaMatta, Tiago Abravanel entre outros. O músico mostra um estilo muito livre ao tocar, com frases bem construídas, ótimo trabalho nas dinâmicas e muita musicalidade.

O disco conta com nove músicas e uma arte de capa sensacional. A tela foi feita pelo artista plástico chileno Carlos Paredes, que a cedeu para ser usada como capa do primeiro trabalho do Choro Novo.

Começo falando de Tijolo na Nuca, música mais calma com um arranjo bem feito; o trabalho de Reinaldo no chimbal é notável e merece ser ouvido com atenção. Em Sorrindo Pra Vida, temos um belo tema em 6 no começo, em seguida um frevo com o baterista trabalhando com muita criatividade nas frases e conduções. Sinara Rúbia tem forte influência do flamenco. O baterista esbanja criatividade no uso das notas fantasmas. E que som de violão! Em Pra Chegar!, Reinaldo demonstra habilidade no uso de instrumentos de percussão junto com a bateria. Destaque para a frase de entrada da bateria antes do tema. "O Bruxo" tem mistura de xaxado com maracatu, muito suingue e dinâmica do baterista. Novos Tempos trás um groove muito forte do funk misturado com samba. O uso do aro é feito com muita musicalidade. O ijexá é um dos muitos ritmos que enriquecem Contando os Números. Que arranjo fantástico! O trabalho com o aro e tambores no final da música é notável e merece atenção redobrada. Chorrilho é uma salsa com a ótica do Choro. Catarina é sem dúvida a música mais sangue nos olhos que o grupo toca. Um samba muito rápido a la João Bosco, com um ótimo trabalho nas conduções feito por Reinaldo."

(Ótica de um baterista para o CD)

Playlists relacionadas