Imagem de capa de Enharmonic Khaos
Enharmonic Khaos

Enharmonic Khaos

Cidade/EstadoJuiz de Fora / MG
Plays1.358plays
VER TODAS AS MÚSICAS

Comunidade

OuvintesAnu Borges e outros 38 ouvintes
Anu BorgesAnu BorgesAnu BorgesAnu BorgesAnu Borges
Fã-clubeRose32rosa e outros 3 fãs
Rose32rosaRose32rosaRose32rosaRose32rosa

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário
Imagem de Pedro FarinazzoPedro FarinazzoGuitarra

Release

A Enharmonic Khaos foi criada em Novembro de 2017 pelo musico Pedro Farinazzo, o qual já havia integrado varias bandas em sua cidade. Este projeto surgiu com a união de duas idéias que estavam sendo desenvolvidas pelo musico: Um projeto voltado para o Jazz/Fusion, até aquele dado momento sem nome ainda, e um outro projeto mais experimental chamado B.E.I.K.O.M.N. Com a idéia de tornar este segundo projeto algo mais profissional, porém, mantendo a característica do experimentalismo, e sem abandonar a idéia do primeiro projeto de Jazz/Fusion, foi feita a união destes, formando assim a Enharmonic Khaos, utilizando-se de VST’s (instrumentos virtuais) para as composições, e unindo varias influencias que vão do Hip Hop até o Djent, com a intenção de criar um som com uma cara diferenciada.

O primeiro single “Irrational Drives” foi lançado nas plataformas digitais em 25 de Junho de 2018, juntamente com um videoclipe que retrata a mente de uma pessoa com anisedade e depressão, sendo posteriormente lançados também no Youtube versões das musicas “Lágrimas” da banda John Wayne, “...And Justice For All” do Metallica e “Fear of The Dark” do Iron Maiden.

O Primeiro álbum da Enharmonic Khaos chamado “Endure The Pain” foi lançado na data de 18 de Setembro de 2018 com oito musicas autorais.

Um ano após o lançamento do álbum “Endure The Pain”, foi lançada em 13 de Dezembro a musica “Por Trás da Minha Pele”, desta vez com uma nova proposta, com baixo e guitarra reais sendo tocados e em parceria com Rafael Santos da banda Of Christ, sendo este responsável pela letra e vocais na musica.

“Por Trás da Minha Pele” trás uma mistura de metal com rap, mostrando uma diferenciação do trabalho feito no primeiro álbum. A letra tem uma critica forte e clara ao racismo, e as implicações que ele traz no dia à dia das pessoas que o sofrem.

Em Dezembro de 2020 veio o EP "Refém", gravado inteiramente com guitarras de sete cordas e letras criticas e acidas.

Playlists relacionadas