Iaiá Drumond

EstiloMPB
Cidade/EstadoBelo Horizonte / MG
Plays11.015plays
VER TODAS AS MÚSICAS
Ver mais vídeos

Comunidade

OuvintesRoselves Alves e outros 38 ouvintes
Fã-clubeRoselves Alves e outros 4 fãs

Comentários

Filtrar Por:

Release

Iaiá Drumond é cantora, compositora e preparadora vocal. Formada em Música, com habilitação em Canto, pela UEMG, lançou, em 2017, seu projeto musical 100% autoral intitulado Sons de sim; é a idealizadora e produtora executiva do Projeto Motus e do Projeto Live Na rede; e é cantora efetiva do Coral Lírico de MG.Iniciou sua trajetória musical em 1995 como integrante do Coral Infantil do Palácio das Artes e, depois de atuar como integrante de outros corais e grupos vocais como Sons de Minas, com o qual se apresentou no 2° Internacionales Kinder Jugendchorfestival, na Alemanha, na Missa de 17h30minh no Vaticano e no Teatro Del Tempietto, na Itália; Madrigal Ãnima e Angels, iniciou sua busca por aliar sua atuação em música erudita com uma carreira em música popular. Atuou como cantora e compositora do grupo Nós, por exemplo (2006-2011), e, com o grupo, participou de diversos shows e festivais, incluindo-se o Festival de Inverno de Vespasiano, em que realizou a abertura do show de Flávio Venturini. No mesmo período, atuou ainda como cantora no grupo Rodrigo Miranda e Banda (2004-2010), com o qual participou de projetos como Minas ao Luar, Minas em Serenata, Seresta ao Pé da Serra, do SESC-MG, e JK em Seresta. No campo das artes cênicas, atuou como parte do grupo vocal do espetáculo O menino Léo e o poeta Noel, de Neuza Sorrenti (1997), integrou o elenco de Nas ondas do rádio, de Pádua Teixeira (2003-2004), foi preparadora vocal dos elencos das peças O gato de Botas e Nas ondas do Rádio (2011), ambas produzidas pela DuArt Produções; e da peça O menino mais rico do mundo (2015) da Sala7 Produções; e fez parte da encenação “Puxada de Rede” do grupo Capoeira Origem (2011). Como professora de canto, trabalhou em escolas como Babaya – Casa de Canto, Pro-music e Allegretto, além de ter atuado como professora de canto do Programa Valores de Minas (2013), professora de canto coral no Projeto Arte e Transformação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Vespasiano (2012) e como regente do grupo de seresta Turma da Iaiá, da ABT – Associação Beneficente de Tipografia (2008-2010). Com o Coral Lírico participou do show Sinfônica Pop – Convida Milton Nascimento (2014), do Concerto de inauguração da Sala Minas Gerais (2015), do 6° Música em Trancoso na Bahia (2017) e de diversos concertos e óperas importantes da música de concerto. Como cantora solo, seu primeiro projeto foi o “Quantas voltas dá meu mundo”, cuja estréia se deu em 2012 no Teatro de bolso do SESC Palladium. Posteriormente, já como compositora, participou do Projeto Inéditas 6° Edição (2015); participou como convidada, do show do Marquim D’Morais no FAN – Festival de Arte Negra (2015) e da Virada Cultural (2016); participou com o Coletivo A corda, do DiverSas – Arte e Resistência (2016); participou do Sonora – Ciclo Internacional de Compositoras (2016); participou do Projeto Meninas do Brasil (2017), participou do Projeto Caixa Acústica, em que dividiu o show com a também cantautora Sofia Cupertino (2017); participou do show de lançamento do primeiro álbum do artista Marquim D’Morais intitulado “Do alto do morro”; participou do FAN – Festival de Arte Negra, edição Mulher em 2017 e do IMUNE – Instante da Música Negra com o show “Sons de Sim”e fez participações especiais nos shows dos artistas Jéssica Senhorini, Renato Rosa, Marquim D’Morais, Banda Cartoon. Em 2018, participou do Programa Caleidoscópio da TV Horizonte, Participou do Programa Sons de Minas da TVC BH, Participou do Projeto Elas ao lado da cantautora, Lislie Fiorinni, foi convidada pelo grupo Ilumiara para participar do concerto “Ilumiara e os Sonoros Ofícios” e levou o show “Sons de sim” ao Projeto “Salve o Compositor” do Sesc Palladium. Iaiá Drumond busca, com sua arte, contribuir para o universo musical brasileiro em suas diversas vertentes e abordagens, tendo dedicado vida e alma a essa arte tão universal, mas, ao mesmo tempo, tão individual, que nos aproxima e nos diferencia, que nos integra e nos torna únicos.

Playlists relacionadas

Home