Imagem de capa de Joana Bentes

Joana Bentes

EstiloMPB
Cidade/EstadoBelo Horizonte / MG
Plays286.254plays
Ver todos os álbuns
Ver mais vídeos

Comunidade

Ouvintes e outros 268 ouvintes
Fã-clubeTainá Luz e outros 25 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário
Imagem de Larissa HortaLarissa HortaBaixo

Release

PRESA é liberdade!

PRESA é um manifesto. O manifesto de um grito por justiça. Uma convocação pública por parte das mulheres que batalham juntas no mercado da música no Brasil.

84% das brasileiras ligadas ao setor musical já foram discriminadas no ambiente de trabalho. Dentre as maiores dificuldades enfrentadas estão a sobrecarga (mais de 73% dedica à música mais de 20h semanais e a sobrecarga se torna mais grave quando se considera o tempo gasto com tarefas domésticas), o assédio sexual (49% das menções como principal dificuldade e 20% das menções como segunda principal dificuldade) e o assédio moral (47% das menções como principal dificuldade e 35% das menções como segunda principal dificuldade)*. Sendo assim, é urgente o comprometimento da sociedade para garantir:

- Que a dedicação ao trabalho seja equivalente às perspectivas individuais para as carreiras;
- Que o tempo comprometido com o trabalho seja proporcionalmente justo em relação ao tempo dedicado a outras atividades fundamentais, como o aperfeiçoamento profissional, a maternidade (no caso de), o trabalho doméstico e outras;
- Maior equidade de gênero, tanto em proporção mulheres/homens no ambiente de trabalho, quanto em cargos de liderança, remuneração e equilíbrio entre vida pessoal e social;
- Que não seja necessária uma dedicação em horas muito maior que a sugerida por lei para que se tenha renda considerável na música;
- Que haja maior oferta de cursos gratuitos profissionalizantes para as mulheres interessadas em áreas mais ou menos exploradas no mercado da música, sobretudo para mulheres negras, trans, PcD e de baixa renda;
- A contratação de mão de obra feminina, especialmente para funções e áreas nas quais ainda existem poucas profissionais referências no mercado;
- A criação e consolidação de organizações, institutos, coletivos e grupos que fortaleçam a autoconfiança no trabalho e a comunicação entre as mulheres no mercado da música;
- Reconhecimento e respeito para ocupar cargos e espaços em posições de liderança e para se fortalecerem dentro dos espaços que já ocupam, sem a necessidade de comprovar a todo momento a capacidade de realizar o seu trabalho;
- Um basta à violência estrutural sexista e compulsória no corporativismo do sistema das consideradas Indústrias Criativas, principalmente o mercado da música;
- Que o mercado na área da música possa absorver de forma prioritária mulheres de diferentes classes, cores, orientações e identidades sexuais, sem distinção condicional de hierarquia;
- Que possam existir cada vez mais mulheres referência em toda cadeia musical e artística para que as crianças e jovens possam se espelhar em alguém que ocupa um lugar de desejo, que este caminho seja conhecido e que seja possível de ser trilhado;
- Que a representatividade feminina abra novas possibilidades de ser e estar no nosso país;
- Que tenhamos forças para enfrentar diariamente o capitalismo antidemocrático!

Lutemos todas juntas! Somos a união de nossas vozes! Somos uma grande nuvem de nós!

Joana Bentes
Silvia Carolina Ferreira


“PRESA” é o novo single de Joana Bentes (voz, guitarra e programações), tem participação especial de Nath Rodrigues (voz e violinos) e conta com Larissa Horta no baixo. Produção executiva de Silvia Carolina Ferreira. Arte da capa por Carla Roncarati. Gravado, mixado e masterizado no homestudio JOB por Joana Bentes. Distribuído pela Tratore. Selo MACACOLAB.

Joana Bentes atua como cantora, compositora, produtora, musicista autodidata em violão, bateria e guitarra. Lançou o EP “ENTRE” (2016) com produção de Xuxa Levy e os singles “AQUI” (2017), produzido por Raphael Mancini, “O Mal Vai Morrer de Alegria” (2019) e “Última Música” (2019), ambos produzidos por Joana. Tocou em Vitória, sua cidade natal, Brasília, São Paulo, Uberlândia e Belo Horizonte, onde vive atualmente. Foi finalista do Prêmio Profissionais da Música 2018 na categoria Trilha Sonora de Cinema pelo documentário curta-metragem “TRANSVIVO”, de Tati W. Franklin.

O Manifesto “PRESA é liberdade” foi inspirado no texto “Notas para um manifesto feminista: para a construção de um feminismo para os 99%”, de Cinzia Arruzza, Nancy Fraser e Tithi Bhattacharya.

A ilustração da capa do Manifesto feita pela artista plástica Carla Roncarati pode (e deve) ser impressa e emoldurada. Ela, assim como a capa do single “PRESA” fazem parte da série de trabalhos “Hematoma”.

*Dados coletados na pesquisa DATA SIM “Mulheres na Indústria da Música no Brasil: obstáculos, oportunidades e perspectivas”, realizada em 2019 pelo DATA SIM / SIM SP.

Playlists relacionadas