Imagem de capa de Luzmilla Luz
Luzmilla Luz

Luzmilla Luz

EstiloMPB
Cidade/EstadoMariana / MG
Plays775plays

Comunidade

OuvintesIzete Pantoja e outros 79 ouvintes
Izete PantojaIzete PantojaIzete PantojaIzete PantojaIzete Pantoja
Fã-clube e outros -1 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário

Release

‘SINTRÓPICA’:
A conexão com a terra dá o tom do primeiro EP autoral da mineira Luzmilla Luz, que chega dia 6 de maio nas plataformas

O lançamento será comemorado com um show no Inhotim, no dia 4 de junho, em celebração à Semana do Meio Ambiente

left
Capa do EP “Sintrópica” // Foto de Renata Delgado e arte em bordado de Luzmilla Luz e design gráfico de Luiza Devasa

FAÇA O PRÉ-SAVE/OUÇA AGORA: https://onerpm.link/348603595513

A agricultura sintrópica é um movimento que usa o conceito de sintropia para enfatizar a organização, o equilíbrio e a busca pela harmonia entre os processos de produção e o meio ambiente, favorecendo a biodiversidade e a regeneração. Intimamente ligada à terra, à ancestralidade, à força da mulher e à preservação da natureza, a cantora e compositora mineira Luzmilla Luz traz este conceito para resumir a essência do seu primeiro EP autoral: “Sintrópica”, com produção musical de Gabriel Strozi, que chega nas plataformas dia 6 de maio de 2022. Para Luzmilla, “Sintrópica” celebra as forças nutridoras da vida e é um chamado a sairmos do nosso exílio e retomarmos o nosso lugar, junto à terra.

SHOW DE LANÇAMENTO: O lançamento será comemorado com um show no Jardim de Todos os Sentidos, dentro do Instituto Inhotim - sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior museu a céu aberto do mundo. O show acontecerá no dia 4 de junho, às 15h30, e integra a programação da Semana do Meio Ambiente, marcando também a estreia nos palcos do trabalho autoral da cantora. A direção artística do espetáculo é do mineiro Jahi Amani, que também assina a direção de dois videoclipes da artista, “Oyá” e “Brilha e Brilha” (estreia 27 de maio). “É significativo ser uma artista nativa de Mariana, estreando em Brumadinho em plena comemoração da Semana do Meio Ambiente. Os desastres ocorridos em nossa região têm que ser lembrados”, diz a artista, que é militante ecofeminista.

CONHEÇA O EP ‘SINTRÓPICA’

Em “Sintrópica”, EP composto por quatro canções e um poema, Luzmilla Luz se veste das suas vivências e da sua intimidade com as questões da terra e da espiritualidade nativa, cultivadas ao longo de mais de dez anos de andanças e experiências em diversas regiões rurais da América Latina, para chegar a um trabalho que emociona pela simplicidade, pela força da poesia e pela verdade exalada em seus cantos melodiosos.

“A sintropia me abraçou e transformou a minha perspectiva de vida. Entendi que minha função no sistema é também comunicar por meio do encantamento. Me dedico há mais de 15 anos à agricultura agroecológica, bioconstrução e espiritualidade - facetas que temperam a proposta do EP e dialogam diretamente com os desafios dos tempos atuais de crises climáticas, políticas e sociais, mas que são, ao mesmo tempo, temáticas atemporais”, diz a artista, que também é graduada em Artes Cênicas e mestre em Estética e Filosofia da Arte.

left
Luzmilla Luz em imagem do clipe “Sou Semente” (estréia dia 06 de Maio)
fotografada por Tawana Roig

SINTRÓPICA: FAIXA A FAIXA

O primeiro single de "Sintrópica", lançado em 15 de abril, “Terra Boa” é a canção que abre o EP e que fala sobre a terra e a colheita.

“Essa música é muito significativa pra mim. Ela evoca a divina abundância terrenal e tem inspiração nas ideias de Ernst Götsch, que diz que a “água se planta”, que o papel do ser humano no sistema da vida é de cultivar florestas para regenerar este sistema, e isso pode ser feito com alegria e celebração. Considero essa uma ideia chave na possibilidade da construção de uma humanidade em paz, em harmonia, capaz de ir além do medo da escassez que nos coloca uns contra os outros. A terra nos dá os frutos em sobra, essa música celebra essa fertilidade”, explica a artista.

“No céu // Água cresceu // Plantando chuva // Vai florescer // O amor da Terra // Dá de cumer // Água, sombra e fruta // flor da vida, amor!" (Trecho de “Terra Boa”)

Terra Boa”, assim como o tema que fecha o EP, a ciranda “Brilha e Brilha”, foram compostas durante um retiro no Sítio Semente, localizado em Brasília, uma das maiores referências em sistemas agroflorestais sintrópicos do mundo. Ambas são canções solares e vívidas, daquelas que já se escuta cantando junto.

“Sou Semente” será o primeiro clipe e também é a faixa mais ecofeminista do trabalho. Cantada em espanhol e português, inspirada nas vivências da artista em “Retiros da Lua'' realizados no Chile ao longo de oito anos consecutivos.

“O canto fala da relação de comunhão do feminino com a própria consciência da terra. Vamos entendendo, com o tempo, que cada uma de nós é um altar. Então, é uma música que envolve imanência, espiritualidade do corpo, é uma mensagem visceral, muito direta, uma oferta às minhas irmãs de caminhada e uma forma de compartilhar essa visão com o mundo”, diz Luzmilla, que tem como referências musicais o Clube da Esquina, Lia de Itamaracá, A Barca, além de artistas da nova geração como Luiza Lian, Céu e Anelis Assumpção, bem como música erudita, indiana, cânticos e mantras.

“Eu sentei nessa Terra // Eu vi a lua brilhar // A Terra me embalou e me contou // Eu era um altar” (Trecho de “Sou Semente”)

Completam o EP as canções “Água Sagrada”, além de um poema de interlúdio, “Canto dos Povos”.

left
Luzmilla Luz em foto de Renata Delgado

“Água Sagrada'' é uma canção que celebra a água presente em todas as coisas. Ela também é fruto de uma das vivências que tenho com a Mama Andrea, uma líder espiritual do caminho vermelho, no Equador, que tem um trabalho focado em mulheres. “Quando a compus, eu estava em uma tristeza muito profunda, me lembro de conversar com a água e pedir inspiração. Logo em seguida, veio a música, assim alegrando tudo”, diz sobre a faixa, que traz referências de ritmos populares do Maranhão, onde a artista já morou, com percussões do bumba-meu-boi gravadas pelo instrumentista maranhense César Nascimento.

Marcado por muita beleza e simplicidade, “Sintrópica” foi realizado com recursos de um financiamento coletivo e conta com o apoio da Gravadora Experimental do curso de Produção Fonográfica da FATEC da cidade de Tatuí, São Paulo.
SOBRE LUZMILLA LUZ: Luzmilla Luz é uma cantautora independente da Nova MPB que mescla ancestralidade e sofisticação num canto ligado à terra, à feminilidade e ao movimento agroecológico. Natural de Mariana (MG), é graduada em Artes Cênicas, mestre em Estética e Filosofia da Arte e tem uma vida marcada pela vivência em diferentes lugares, tendo conhecido ou morado em diversas regiões do Brasil (Pará, Maranhão, Rio de Janeiro, Acre, Goiás e Minas Gerais); da América Latina (Peru, Chile, Bolívia e Mexico); e do mundo (Japão e Alemanha). Luzmilla tem 5 singles lançados, 4 videoclipes e produções de alta qualidade - conta com mais de 1500 ouvintes mensais, 60K+ plays no Spotify e 20k+ plays no Youtube. Luzmilla Luz já realizou pocket shows dentro da Mostra de Mulheres Compositoras - Minas da Voz, e em Belo Horizonte no Grande Teatro do SESC Palladium como atração artística do XII Prêmio Zumbi de Cultura.

FICHA TÉCNICA:
SINTRÓPICA
Composições e intérprete: Luzmilla Luz
Arranjos e produção musical e composição (Terra Boa): Gabriel Strozi
Coro: Jéssica Lorenzo, Jaquie Livino, Mariana Leme e Gabriel Strozi
Violão Aço, Violão Aço 9 cordas, Violão Nylon, Shakers, Xilofone, Metalofone, Maracás, Tambor de Mão, Facão, Djembé, Tamborzinho de Cobra, Címbalos, Guitarra, Barras Sonoras e Sintetizadores: Gabriel Strozi
Violinos: Jéssica Lorenzo, Raul Galhego e Gabriel Strozi
Baixo: Jaquie Livino
Caixa, Bumbo, Surdo e Bateria: Elias Mendes
Flauta Transversal: Zé Pires
Trompete: Mariana Leme
Pifanos: Luiz Goulart
Arranjo de Percussões “Boi Sotaque Pindaré”: César Nascimento
Pandeirão, Matracas, Badalo e Tambor Onça: César Nascimento
Técnicos de Gravação: Thiago Buist, Danieu Victor, WillS e Gabriel Strozi
Mixagem: Gabriel Strozi
Mixagem (“Brilha e Brilha”): WillS e Gabriel Strozi
Masterização: Nando Costa

Gravado nos Estúdios da Fatec Tatuí (SP), no Estúdio de César Nascimento (RJ) e no Sítio Açafrão Canela (Mariana - MG)

FICHA TÉCNICA - SHOW:
Músicos: Gabriel Strozi (guitarra e efeitos), Gegê Mendes (baterista), Lawanda Garcia (violonista), João de Avelar (baixista) e Tiago Valentim (percussão)
Figurinista e Cenógrafa: Silma Dornas de Abreu Mooren, Aldo Clécius (apoio) e Ludovicus Barbara Mooren (apoio cenário)
Direção artística: Jahi Amani
Som e iluminação: Marabaia Sonorização, Juliano Bass e Carlos Alberto Neves
Produção Geral: Atylana Fernandes

SERVIÇO - SHOW:
Luzmilla Luz apresenta “Sintrópica” no Inhotim
Data: 4 de junho de 2022
Horário: 15h30
60 minutos. Livre.
Mais informações: https://www.inhotim.org.br/

Siga a Luzmilla Luz nas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/luzmillacanta/
YouTube: https://www.youtube.com/LuzmillaLuz
Facebook: https://www.facebook.com/luzmillacanta
TikTok: https://www.tiktok.com/@luzmillacanta

Siga Luzmilla Luz nas plataformas:
Spotify: https://open.spotify.com/artist/2O4KaBlL1PQ8GYMxXAH0rT
Deezer: https://www.deezer.com/en/artist/105234442
left


Playlists relacionadas