Nathalia Ferro

Cidade/EstadoSão Luís / MA
Plays1.489plays
VER TODAS AS MÚSICAS

Comunidade

Ouvintessalvador junior e outros 5 ouvintes
Fã-clubePaulo Gustavo de Holanda e outros 4 fãs

Comentários

Filtrar Por:

Release

Nathalia Ferro é corajosa que só.
Na primeira vez em que subiu num palco, não tinha ideia do que estava fazendo. Um amigo de sua mãe havia ouvido a moça cantando no banho e a chamou para participar do show de sua banda, num conhecido festival de reggae de São Luís.
Nathalia não curtia reggae. Apesar de crescer ouvindo pela cidade os radinhos e radiolas (havia uma no fim de sua rua) sintonizados no ritmo jamaicano, cresceu longe da periferia, bem perto da música da juventude pequeno burguesa de seus pais.
Eram os Chicos, Caetanos, Miltons, Gils e Elis de sempre. Era Zé Ramalho, Alceu Valença, Novos Baianos, Raul Seixas e Luiz Gonzaga na veia. Era também A-Ha, Yes, Bee Gees, Genesis, Supertramp, Cindy Lauper e Madonna.
Mas ela subiu ao palco cantando reggae. E a paixão pela paixão nasceu ali.
Sem medo de experimentar e se reiventar, da mesma maneira com que se lançou ao mundo desconhecido do groove e malemolência roots, ganhando público, elogios e algo que pudesse chamar de "carreira musical", também entendeu o momento de "morrer" por longo período e ressurgir musicalmente, dessa vez compositora e costurando os fios da música que aprendeu em casa, no palco, e nas calçadas dos bares.
Renasceu no rock setentista, na voz de Amy Winehouse e na atitude algo transviada. Renasceu também pela influência do ritmo caleidoscópico/hipnótico do som de Céu, num romantismo dramático e delicado, jamais antes revelado, e no esquecimento total do medo de que achassem sua voz e interpretação incomuns.
Instante nasce de uma artista que está profundamente viva no presente. E ela mais uma vez, sem mais se debater entre angústias e incertezas, apenas certa de que estas precisam existir pra que o movimento aconteça, reaparece de riso leve e coração na mão.
O EP independente, que possui 5 faixas, sendo elas autorais, com os parceiros André Grolli (baterista da banda) e Rommel Ribeiro além de uma canção do compositor Paulo César Linhares, foi produzido por músicos que souberam, com criativa sensibilidade e enorme liberdade, pintar o som de uma artista forte, feminina, fugidia e extremamente sensual, pouco preocupada com o que deve ser, mas em total intimidade com o que é.

Playlists relacionadas

Home