Pyrany

Pyrany

EstiloRegional
Cidade/EstadoItuaçu / BA
Plays3.727plays
VER TODAS AS MÚSICAS

Comunidade

OuvintesJoao Joao Paulo e outros 16 ouvintes
Joao Joao PauloJoao Joao PauloJoao Joao PauloJoao Joao PauloJoao Joao Paulo
Fã-clubeWILLIAM ARAUJO e outros 12 fãs
WILLIAM  ARAUJOWILLIAM  ARAUJOWILLIAM  ARAUJOWILLIAM  ARAUJOWILLIAM  ARAUJO

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário

Release

Garra, força, e determinação são algumas das palavras que definem a trajetória musical do cantor Pyrany.

Mineiro criado no Paraná, teve primeiro contato com a arte musical ainda jovem, por possuir um histórico musical muito forte desde a sua infância, quando ouvia pelo rádio as canções e criações do Violeiro e Repentista Téo Azevedo.

Entretanto, o seu interesse aumentou com a sua ida para a metrópole paulista, São Paulo. Por lá, em meados dos anos 70, iniciou a sua carreira artística, no auge dos chamados Trios Sertanejos. Seus LPs foram inclusive produzidos por grandes personalidades da música sertaneja, como Dino Franco (Dino Franco & Mouraí), Carlos Randall (Carlos Randall & Danimar), Maestros Marinho, Pinocchio e Zé Paulo, Mário Campanha, etc. Por lá também constituiu duas duplas sertanejas: Andradino & Pyrany e Léo Ribeiro & Pyrany, apresentando-se inclusive no extinto Clube do Bolinha (Bandeirantes) e Som Brasil (apresentado por Lima Duarte , na TV Globo).

O cantor que nunca temeu desafios, resolveu dar um rumo diferenciado ao seu trabalho, ao partir para um novo campo: a Bahia, estado rico em manifestações culturais e artísticas, berço de uma infinidade de artistas consagrados pela Música Popular Brasileira.

Por aqui, iniciou ao lado do então parceiro musical, o amigo Léo Ribeiro, um projeto até então inovador: a ancoragem de um dos programas de maior audiência da Rádio FM 100,1 (atual Transamérica) de Vitória da Conquista, o Alvorada Sertaneja. As famosas cartinhas de fãs nunca deixavam de ser lidas e chegavam aos montes às caixas postais dos mais novos locutores da região. Nesta época, participou de programas de canais locais, como a TV Cabrália (Record News).

Com o término da dupla, o cantor seguiu carreira solo, sendo contratado para comandar um programa com o mesmo título e temática na rádio FM 103,5, onde permanece até os dias atuais. Nesta época, conheceu a sua vertente brega, apresentando-se no Canal do Boi (Programa Eliane Camargo) e TV Diário de Fortaleza (Paulo Oliveira na TV, Clube do Brega e Nas Garras da Patrulha). É incrível ver como o homem do campo o tem como um grande amigo das madrugadas no rádio!

Seu mais novo trabalho teve o privilégio de contar com a participação mais que especial da Majestade do forró baiano, Adelmário Coelho. Tá bom neném possui uma cadência interiorana, típica dos festejos que aconteciam - e ainda acontecem - nas chamadas latadas e barracões juninos.

Playlists relacionadas

Contrate