Rejane LunaFlor de Açucena12.335 plays
Publicidadeiniciando próxima música em Pular anúncio
Publicidade
Publicidade
pular anúncio
1 / 12

Flor de Açucena

Galvão Filho / JB Campanholi

Que me importa a faca de tua língua cega.
Que me importa a seca de tua boca muda.
Mesmo o teu despeito, este amor não nego.
Sou teu prisioneeiero digo não se iluda.
Mesmo a teu despeito, esse amor não nego.
Digo não se iluda
Que se dane o abismo do teu corpo espesso,
Que se dane o muro de tuas mãos vadias.
Marginal sou eu em tua história oca
Eu sou o bandidoque que tu mais temias.
Marginal sou eu em tua história oca,
Que tu mais temias.
Que interessa a chave de tua porta oval.
Que interessa o mal do teu pensamento.
Fera e sonhador, rei no meu cenário,
Sou diabo e tento.

E pede socorro, eu vou.
Trama a tua presa sim
E gritas teus medos sei.
Inventas defesas,
Desvendas segredos sim.
É plano falido é.
Tu és a prisão do amor,
E eu sou teu detido.

Músicas mais acessadas

Fotos (16)

Release

Rejane Luna iniciou sua carreira profissional em 1998. Em seu primeiro CD,
intitulado “rejane Luna”, gravou canções próprias, como “Sabe-se lá”, uma parceria sua com a poetisa portuguesa Rita Alves da Silva, que venceu o Prêmio Hangar de Música na categoria “Melhor música”.
Vencedora do Prêmio Hangar de Música, também na categoria de “Intérprete Revelação”, Rejane fez duas temporadas de shows em Portugal, quando recebeu destaque da imprensa portuguesa: “A cantora brasileira Rejane Luna cantou e encantou o público presente em Arcos de Valdevez de viola em riste” (jornal Correio da Manhã), “A lua, a voz e o violão” essa foi a chamada da matéria que encerra dizendo: “Rejane Luna está entre nós para uma série de espetáculos, onde a sua voz e o violão têm todo o protagonismo” (jornal ...

Continuar lendo>>