Simone Moreno

EstiloAxé
Cidade/EstadoSalvador / BA
Plays1.834.802plays
VER TODAS AS MÚSICAS
Ver mais vídeos

Comunidade

OuvintesRafael Bezerro e outros 3.481 ouvintes
Fã-clubeDjNaldo Mix e outros 358 fãs

Comentários

Filtrar Por:

Release

Nascida em Salvador, Bahia, o seu interesse pela música foi evocado muito cedo. Com apenas 17 anos, ela estava cantando das hights dos grupos trio-eléctrico em toda Salvador, e gravou - juntamente com o grupo Novos Bárbaros - o sucesso «A terra tremeu», começando como um tema para uma famosa trupe de carnaval da cidade, e terminando como um sucesso em todo o Brasil.

Em 1994, a carreira solo de Simone decolou, com «Simone Moreno». Muito bem recebido pela crítica, bem como pelo público, este manteve a música de grandes compositores da Bahia e do Rio, como Caymmi e Gilberto Gil. Com a música axé «Eh moça», ela mais uma vez teve um sucesso em todo o país.

Próximo álbum «Morena» (produzido por Pepeu Gomes), foi um desfile das raízes da música brasileira. Simone, já posto em movimento, estava cantando uma variedade de estilos. Por esta altura, Simone tinha se transformado em um superstar afro-brasileiras e excursionou por todo o Brasil, Europa, Japão e EUA.

Mas Simone foi até para novos desafios, e depois de se mudar para o Rio, terceiro disco «Manda me Chamar» foi lançado. É um disco de samba bonito, produzido pelo famoso produtor Rildo Hora, muito bem recebido pela crítica e elogiado pelos grandes sambistas do Rio (como Martinho da Vila, Paulinho da Viola e Noca da Portela), que também contribuiu com canções para o álbum .

O mais recente lançamento no Brasil, «from that o Samba e samba», foi uma homenagem ao samba e os compositores da bossa nova, como Barroso, Jobim e Buarque e o álbum foi produzido pelo guitarrista Roberto Menescal - um dos fundadores do movimento bossa nova - que produziu Elis Regina, Emílio Santiago e Leila Pinheiro, entre outros. Menescal ficou impressionado com as interpretações heartful de Simone no estúdio: "Ela é uma cantora de perito, que capta todas as situações que ela canta, e tem a força de um cavalo selvagem no palco. É melhor vê-la cantar-se para testemunhar toda a sua unidade, seu sentimento e sua imensa energia. »

Viagem de Simone ao redor do planeta não tinha acabado de longe, porém. Em 2001, Simone mudou para a Suécia e na Europa depois de ter conhecido músico e produtor sueco Anders von Hofsten, eo álbum "Samba Makossa" - uma homenagem à música brasileira, com belas versões de músicas de Chico Science e Jorge Ben, entre outros - foi lançado em 2006. foi gravado com músicos do norte frio e se tornou um grande sucesso, mantendo o hit "Vem pra Bahia", airplayed muito em rádio sueca. Simone se transformou em um artista conhecido na Escandinávia, e tem entre muitas coisas participaram do sueco Grand Prix Melodie, cantada na frente de Gilberto Gil na cerimônia do Prêmio Polar, e gravou os registros da casa com produtores como Rasmus Faber e SUMO ...

E agora, depois de passear por vários anos na Escandinávia e na Europa, a marca novo álbum "Planetas" é lançado. É uma viagem através de todas Simone sofreu, musicalmente e emocionalmente, e mantém apenas material original, escrito pela cantora juntamente com sua banda mal-cheiroso Os Lourinhos. Cheio de reggae com alma, balançando samba e Afropop saltitante, que recebeu ótimas críticas e concertos cheio de pessoas dançando ... Mais uma vez, há uma chance para os europeus para assistir ao afrosambaqueen poderosa nos palcos mais estreitas do que as entre as montanhas e o mar de Brasil.

Cotações:

«Seu canto é invencível» Noca da Portela, grande compositor do samba da escola de samba Portela
«Isto é o que estava faltando em tha samba: a jovem intérprete com uma boa voz e swing» Martinho da Vila, cantor e um dos compositores de samba mais influentes do país
«A baiana com a voz e o estilo de um sambista» João Máximo, no jornal O Globo
«Simone segue a tradição ao longo da linha onde Elza Soares, Clara Nunes e Beth Carvalho se desviaram» Sergio Cabral, famoso jornalista e grande autoridade do samba no Brasil
«Simone Moreno registra o melhor samba do Rio» Cláuido Uchôa, no jornal O Dia.

Álbuns:

"Simone Moreno" - 1994 (WEA Brasil)
"Morena" - 1996 (WEA Brasil)
"Manda me Chamar" - 1998 (WEA Brasil)
"Desde Que o samba e samba" - 2000 (Albatroz, Brasil)
"Samba Makossa" - 2006 (alma Dog Records)
"Planetas" - 2012 (alma Dog Records)

Playlists relacionadas

Home