TONO

TONO

EstiloMPB
Cidade/EstadoRio de Janeiro / RJ
Plays79.843plays

Comunidade

OuvintesSelma Lacerda e outros 293 ouvintes
Selma LacerdaSelma LacerdaSelma LacerdaSelma LacerdaSelma Lacerda
Fã-clubeLafaiete Júnior e outros 92 fãs
Lafaiete JúniorLafaiete JúniorLafaiete JúniorLafaiete JúniorLafaiete Júnior

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário
Imagem de Ana Claudia LomelinoAna Claudia LomelinoXilofone, Voz
Imagem de Bem GilBem GilVoz, Guitarra
Imagem de Bruno Di LulloBruno Di LulloVoz, Baixo
Ver mais integrantes

Release

Um som inconfundível é raro. Um som inconfundível que parece chegar sem esforço, leve e descontraído, é mais raro ainda.
Tono é uma banda com estes raríssimos dons, com este som que passeia distraído entre o leve e o pesado, regido ora pelo acaso ora pelo virtuosismo. Engraçado, sentando para escrever este release só consigo escrever finalizações, frases de efeito para ficarem na mente de quem passa de leitor a ouvinte... Por que será?
Poderia ou talvez deveria começar falando da marca registrada da banda, o vocal a dois da Ana Claudia Lomelino e do Rafael Rocha. As suas vozes são lisas e confiantes, afinadas e cheias de malicia sem maldade. Ou sem muita maldade. A guitarra do Bem Gil é emocionante, tanto quando brejeiro como quando rasga. O groove do Bruno Di Lullo é profundo. Não dá descanso, com flautas e teclados Leandro Floresta expande o som. A bateria do Rafael é expressiva, um outro agente orquestrador.
Tudo tem muito suingue natural, nada soa forçado. É uma espécie de ápice do ser carioca. Pode pensar que isso não é nada, mas é muita coisa, sim senhor. Como se para provar isso o disco acaba com a única canção não original: Nega Música, do paulista Itamar Assumpção...
Produtores e convidados foram convocados para ajudar na música e não para aumentar visibilidade e vendas. Domenico Lancelloti e Alberto Continentino emprestam imprevisibilidade e elegância e um novo grau de exigência musical aos Tonos. Após a gravação a banda, ao vivo, já toca bem diferente. Os produtores Estevão Casé, Eduardo Manso e Alberto Continentino, e os técnicos Fabiano França, Takayoshi Manabe, Roberta Vulkano e Gabriel Muzak conseguiram liberar e afiar a banda.
Este disco é mais distraído e mais acurado, qualidades também bem cariocas. A fofoca no Rio de Janeiro, como todo mundo sabe, apesar de conter emboscadas, vertigens e outros perigos é contagiante e tem sua alegria. Um desapego, uma certa filosofia zumbi é necessária para quem quiser morar e prosperar aqui. Os Tonos são mestres deste charme desarrumado.
O Tono é da nata e ao mesmo tempo é um HD externo deste Rio de Janeiro mundano. Dentro deste público que a banda imita tão bem, público dançante, malemolente e memorável, encontram-se grandes figuras de uma nova noite carioca: zumbichas, despachados, pescadores desavisados, vaidosos de todos os tipos.
O som lembra tônus, uma musculatura sadia mas dentro da medida, nada de exagerado. E lembra um tom musical, uma escolha musical, uma alegre escolha musical.

Arto Lindsay, novembro/2010

Playlists relacionadas

Contrate

Baze Produções - Marina Mattoso

(21) 2286 - 7292 | (21) 7831 - 4372http://www.bandatono.com.br