Ademir de Souza

EstiloMPB
Cidade/EstadoNiterói / RJ
Plays10.924plays
VER TODAS AS MÚSICAS
Ver mais vídeos

Comunidade

OuvintesAdemir de Souza Francisco de Souza e outros 9 ouvintes
Fã-clube e outros 0 fãs

Comentários

Filtrar Por:

Release

    RELIASE (Ademir de Souza)left
Ademir Franciscode Souza
NiteróiRio de Janeiro Brasil.

HISTÓRICODO AUTOR: 
AdemirFrancisco de Souza (Ademir de Souza)

Chegueia São Gonçalo aos três anos de idade, vindo de Bom Jardim, distrito de BomJesus do Itabapoana RJ. Minha cidade natal. Meus familiares se encontravam nosfins de semana em reuniões musicais. Todos participavam cantando ou tocandoalgum instrumento ou dançando, na cozinha a anfitriã caprichava no pastelzinhoe na batida de limão, vários quitutes e aperitivos. Ali já começava a despertarmeu dom para a música a arte e a poesia, mais aos (12) doze anos de idade viessa trajetória ser interrompida, minha mãe sem condições de nos manter naescola eu e meu irmão, teve que aceitar a nossa ida para o colégio interno,Aprendizado Agrícola de Sacra Família no município de Paulo de Frontin RJ ondefiquei até os (18) dezoito anos de idade, dali tive que cuidar da minha vida eda minha família, minha primeira oportunidade de trabalho foi como servente depedreiro, mais com grande aptidão para o aprendizado, tornei-me um profissionalem pouco tempo, e já aos (23) vinte e três anos trabalhava por conta própria,ainda menino com pouco acesso as revistas e rádio assimilava as melodias dasmúsicas de sucesso e criava letras intercalando com as originais sem me darconta de que assim estava compondo, ao aprender tirar alguns acordes do violãocomecei a compor pra valer e participar das rodas de samba, daí para as casasnoturnas foi rápido, do violão ao cavaquinho a participação em grupos depagodes até que assumi com meu amigo Dodinha o grupo Magia nos anos 80 dentreoutros, obtendo grande sucesso nas reuniões de fundo de quintal, casas noturnase clubes da cidade de São Gonçalo e Niterói RJ. Nos bairros de Itaúna, Trindade,Alcântara, Mutondo, Barreto etc. Já nos anos 90 conheci Chiquinho do Pandeiroexímio cantor de forró sendo convidado para participar do seu grupo tocandocontrabaixo, assim adquirindo aprendizado nesse estilo. Ainda nos anos 90, Fizminha incursão no mundo do samba de enredo participando no G.R.E.S. Unidos doValéria do bairro onde eu morava Itaúna São Gonçalo RJ. Também nos anos 90 aodescobrir o talento do meu filho Fabiano e seu amigo e parceiro Leonardo lhesdei apoio para gravar um CD demo assim eles conseguiram apoio empresarial parao lançamento do CD Universo de Prazer LENE & LÉO levando-os para divulgar otrabalho. Ambientei-me com o mundo das rádios, TV(s), jornais etc. com aexperiência adquirida no meio profissional da música comecei a desenvolver omeu trabalho gravei o CD Meus Caminhos com a colaboração de músicos e parceirosque tocam na noite a princípio era um trabalho sem grandes pretensões, mais aidéia foi amadurecendo e o incentivo dos amigos e Principalmente a parceria comJoão R. Romão da qual resultou na fundação da empresa Eventos Musicais Amantesdo Samba LTDA. E.M.A.S. Produções e ediçõesmusicais.**************************************************************
DEPOIMENTOPARA A: BIBLIOTECA POPULAR MUNICIPAL DE NITERÓI RJ. CORA CORALINA.
Carnavalsempre foi uma paixão pulsante em minha vida, quando menino eu morava no bairrodo Paraíso, São Gonçalo Rio de Janeiro, isso por volta dos anos, 50 e 60, era oauge do carnaval de rua, grupos de colegas e de amigos se reuniam pra fazer fantasiasiguais. Pierrôs, palhaços, colombinas etc., e brincavam na maior animação, aoolhar da multidão exibiam-se orgulhosos, era uma competição sem premiação, erao prazer de brincar o carnaval, minha mãe cortava o tecido no formato dafantasia que eu escolhia pra que eu pregasse as lantejoulas o que eu fazia comorgulho, tinha ano de fazermos mais de três fantasias uma para cada dia, osblocos saiam em horários predeterminados pelos organizadores assim durante ostrês dias de carnaval não faltava animação na rua, Francisco Portela, era omáximo! Lembro-me com saudade do bloco do Marimbondo, que saia na madrugada dodomingo de carnaval anunciando a alvorada, ai dormir só na quarta-feira decinzas, a ida em casa era pra um cochilo e se alimentar, um fato que sempre mevem à lembrança era a tradição da dona Dadinha no preparo de vários tabuleirosde Sardinha que untava com sal grosso e deixava curar ao sol durante diasantecedentes ao carnaval, pois a sua casa era um vai e vem de penetras, asardinha salgada junto com um bom prato de arroz e feijão, com pão e café, otira gosto da cachacinha, era o petisco da vez, que maravilha! Que saudade, daescola de samba, Xavantes do Paraíso, que desfilava em Niterói, no auge docarnaval da Cidade Sorriso, e na terça-feira encerrava o carnaval do paraísodesfilando para os moradores do bairro, assim foi minha a infância eadolescência. Bem, quem diria que anos depois o carnaval seria a porta pra queeu me enredasse no mundo artístico compondo, gravando, e produzindo, músicas eeventos, tudo começou quando fui convidado para participar do concurso desambas de enredo na extinta escola de samba Unidos do Valéria do bairro deItaúna SG/RJ. nos anos 90 onde eu morava, já em 2002 gravando as músicas para omeu 1º CD conheci o saudoso amigo e parceiro João R. Romão compomos a marchinhaO CARNAVAL JÁ CHEGOU, então indo a Rádio Nacional apresentei para o Gerdau dosSantos, participei do seu programa Onde Canta o Sabiá no pré- carnaval, ali meavistei com a rainha Emilinha Borba e muitos outros artistas apaixonados pelocarnaval tradicional do Rio de Janeiro, marchinhas e sambas de embalo. Jámorando em Niterói, no morro do Vital Brazil, desde 1997 e quando em 2006começava a voltar o carnaval com o desfile de blocos na Rua da Conceiçãoparticipei das competições para escolha do samba na G.R.E.S. MocidadeIndependente de Icaraí tive como parceira Fanny Zereman, também em 2008 formeiparceria com a compositora Nilda Nascimento e participamos na G.R.E.S. MocidadeIndependente de Padre Miguel, foi uma emoção indescritível, eu um foliãoapaixonado no palco sagrado da Mocidade competindo com uma obra minha. Compondoe gravando marchinhas e sambas de embalo e como expresso a minha paixão eorgulho pelo carnaval tradicional do nosso Rio de Janeiro.
AdemirFrancisco de Souza, (ADEMIR DE SOUZA)
DEPOIMENTOPARA O:
INSTITUTOHISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE NITERÓI (e sua diretoria) Venho estampar a minhafelicidade pela oportunidade da convivência com professore, historiadores ecolegas de turma, no curso administrado no ano de 2011 sobre os bairros deNiterói. Ali senhoras, senhores e palestrantes soltavam aos nossos ouvidos.Informações adquiridas certamente com muita dedicação, estudo e pesquisa.Jovens estudantes e também cabeças brancas, cabeças pintando, assim como eu eaté crianças. Bebíamos naquela fonte inesgotável que poderia se estender pormuitos outros sábados afins. Posto que algum tempo se passou desde a cerimôniade entrega dos diplomas. Pois ali a minha euforia era comprometedora e agora posso,expressar-me com coerência, bem, pelo menos tentar. A satisfação com ocrescimento das minhas informações sobre a cidade que muitas vezes cruzava eainda... Do terminal norte ao terminal sul, visto que morava em São Gonçalo eia trabalhar em Icaraí. Itaipu... Por vezes caminhava até a praia de Gragoatá eBoa Viagem. Por curto tempo morei no bairro do Engenho do Mato, em meados de1979 a 1980. Não me dava conta da importância das antigas construções, praças,ruas, monumentos… Que estão sempre ali, como prova de como tudo começou. Dealguma forma Niterói abrigou passagens da minha vida. Já nos anos 70 foi naRua, São João a primeira obra que fiz por conta própria. Depois nos anos 90quando como emergente no mundo artístico comecei a gravar as minhas composiçõesnum estúdio da Rua São João, já morando no morro do Vital Brasil, desde 1997.Sem falar na nossa festa de confraternização, uma bagunça organizada. Onde cadaum levou o que foi da sua escolha e outros contribuíram com certa quantia emgrana. Totalmente democrática, surgiram deliciosos quitutes, fiquei orgulhosocom os elogios a respeito do Quiche que a minha esposa Kátia preparou. Tinhatambém bolos, refrigerantes e uma mesa de frios. Uma delícia! Servíamo-nos unsaos outros em cooperação mútua para o bem do evento, como em família. Derepente eis que surge uma garrafa de vinho, e mais outra… Aí foi demais! Oscumprimentos ficaram calorosos, a conversa mais solta...Tive como acompanhantea minha querida filha Maria. A ausência da minha esposa Kátia se deu por ummotivo nobre. Pois aquele 29 de julho foi de extrema alegria para nós, Porque aJacqueline para nosso orgulho assinava a colação de grau nas. FaculdadesIntegradas Maria Thereza como pedagoga, não pudemos portanto prestigiar-nos umao outro. Porém, mais tarde, em casa nos parabenizamos com alegria. Deixo assimmeus agradecimentos e votos para a continuidade do evento. Parabenizando atodos que incentivam e se empenham pelo ensinamento e a divulgação da históriae da cultura.

Ciclo
Hojeseis de dezembro de 2016, horas de 2 a 3 chego à rodoviária de bom Jesus doItabapoana RJ. Depois de algumas idas e vindas posso dizer que conheço minhaterra natal, sempre vai ter mais para conhecer, mesmo quem vive desde o seunascimento no seu torrão vai ter aquele cantinho o qual a longevidade da vidanão proporcionara essa oportunidade, porém ao respirar do ar que circula nasparagens onde se esta, o olhar em volta, sentir o cheiro da poeira, dialogarcom os conterrâneos, trocar cumprimentos, alguns apertos de mãos, abraços,tratamentos de amigos, ou ate visitas de cortesia ou compromisso, assimestreitam-se os laços e podemos nos considerar familiarizados com o nosso lugarde origem, assim vejo, sinto, penso, nas histórias contadas por familiares deque meu pai fazia parada neste mesmo pedaço de chão onde agora no momento deespera ate o sol raiar para ir de encontro aos compromissos do dia, executominha escrita no convencimento de que um ciclo esta fechado, já me considerocidadão integrado a minha terra-mãe, não só de ter escrito na certidão denascimento e de batismo, mais sim, de ações atividades, atitudes, respeito eamor, sim, ame, respeite, considere, apresente-se, declare-se, sem rodeios, semreceios, sem temor, assim vira, consideração, reconhecimento, propagação eaplauso.
Emseis de dezembro de 2016.
AdemirFrancisco de Souza, (ADEMIR DE SOUZA).

EVENTO.

https://www.youtube.com/watch?v=R1de2Lxo96c 

https://www.youtube.com/watch?v=xqeGzpvK4s0

Publicadoem 2 de ago de 2016 Músico bom-jesuense que se criou em São Gonçalo, participoudo passeio culurtal na região da baixada de Bom Jesus do Itabapoana RJ. Brasil.Tendo a oportunidade de registrar sua breve apresentação na Fazenda MatinhosCom seu estilo de raiz na cultura afro, sua música se encaixou com perfeição aoambiente da destilaria no Museu da Cachaça, a atmosfera histórica da FazendaMatinhos deu um requinte especial para a filmagem da apresentação de Ademir deSouza.

https://www.youtube.com/watch?v=xqeGzpvK4s0

CDMEUS CAMINHOS. MP3. 
https://www.palcomp3.com/meuscaminhos/
CDCOMPOSITORES. YOUTUBE
https://www.youtube.com/watch?v=mPrPFtKkS-Y

Playlists relacionadas

Contrate

Ademir de Souza

(21) 2610 - 9240 | (21) 99938 - 8449https://pt.gravatar.com/ademirdesouzablog
Home