Imagem de capa de Olivêra

Olivêra

EstiloMPB
Cidade/EstadoBelo Horizonte / MG

Comunidade

OuvintesRods In The Zky e outros 79 ouvintes
Fã-clubeFlávia Moutinho e outros 4 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Escreva um comentário
Imagem de Otávio CottaOtávio CottaVoz, Guitarra, Gaita

Release

OLIVÊRA EM BUSCA DE RAÍZES

Cantor e compositor mineiro altera nome artístico e reforça o compromisso com a música brasileira, sem abrir mão das coisas da vida e do romantismo.

Espalhado por aí, cantando histórias e a beleza de amores e das relações, expoente do démodé futurista, após 15 anos nos palcos da vida, Marcos Sandália & Meia sai de cena e dá lugar a Olivêra, um cantor e compositor popular, um brasileiro nato.

Neste novo momento, o artista transparece sua forte relação com a música tupiniquim e livra-se da caricatura de ser apenas um cantor kitsch, brega, romântico – sem negar nada disso. A intenção é incorporar gêneros e sonoridades populares sem ser refém de nenhuma delas.

Inaugurando essa fase, Olivêra prepara seu quarto disco, ao lado da violeira Letícia Leal, com a estética marcante da viola caipira e previsto para outubro de 2020. Além disso, já planeja um trabalho conceitual de samba e bossas para 2021, em parceria com André Albernaz.

Trilogia Imperfeita

Formada pelos discos Teimoso, vaidoso e outros defeitos mais (2017), Canções Ingratas (2018) e Esqueça a cortesia, rasgue a poesia (2019), esta trilogia de Olivêra, sob a alcunha de Marcos Sandália & Meia, destaca-se pela linguagem simples, apaixonada, irônica e nostálgica, resultando no que a bibliografia definiu como brega-rock-jovem-guardista-conceitual, uau!

Baladas românticas, grooves emocionais, blues cafajeste, folk-rock, bossa/jazz e traços de experimentação, tudo isso é possível identificar nesta obra totalmente autoral, simples sem ser banal. O trabalho está disponível nas principais plataformas digitais.

Olivêra

Natural de Ipatinga-MG, Olivêra tem 34 anos, é violonista, contrabaixista, produtor musical e jornalista. Brasileiro nato, também é vocalista do Tchanzinho Zona Norte, sendo também o compositor do hino deste bloco carnavalesco, destaque em BH.

Em novembro de 2019, lançou seu primeiro filme, Canções Ingratas - uma cinepoesia, produção independente em parceria com Estrela do Carmo.

Playlists relacionadas