Milena Torres

EstiloMPB
Cidade/EstadoBelo Horizonte / MG
Plays21.617plays
VER TODAS AS MÚSICAS
Ver mais vídeos

Comunidade

OuvintesJones Bergh e outros 69 ouvintes
Fã-clubeCaike e outros 63 fãs

Comentários

Filtrar Por:
Guilherme de MarcoViolão
Guilherme de MarcoViolão
Guilherme de MarcoViolão
Ver mais integrantes

Release

A letrista, metida a poeta, compositora e intérprete Milena Torres conceitua o seu trabalho partindo da relação com a escrita, desde o extinto diário, há mais de vinte anos, exercita e evolui a composição letra e música.
Transformar o que sente, desconfia, observa e vive em verso, é válvula de escape e uma exposição sincera através da poesia que se tornou prazer, trabalho e escolha. Desde então defende o seu trabalho autoral. Fez bares aos dezessete anos, pulava pedidos que não sabia ou e tocava suas músicas sem fazer alarde. E nesse caminho autoral não despreza as referências, que vão de Angela Maria a Led Zeppelin.
Após o início dos estudos de técnica vocal com o cantor e professor Anthonio que define a voz da artista típica de onde veio, do sertão do Vale do Jequitinhonha/minas gerais. Como amadurecimento da voz sob orientação as interpretações ganharam espaço e também sem definição. Fez uma releitura de Cálice de Chico B. e Gilberto Gil e Menina Jesus de Tom Zé que destaca entre as mais freqüentes do repertório e da reação do público. Durante seis anos desenvolveu o projeto Árvore Musical Macumba que saudava os ritmos e a poesia em contextos musicais urbanos e de origem afro-brasileiros, gravaram ao vivo no Teatro da Maçonaria.

O novo projeto da artista é Bem Acompanhada que pretende revisitar o repertório produzido durantes esses anos. A idéia é explorar as possibilidades de parceria de palco e arranjos, atingir mais ouvintes curiosos. Como compositora divulga o seu trabalho pelas interpretações até agora de Marcelo Veronez com Vai passar o amor, Xangô e Oxóssi, Léo Richard com Céu de Crioula, Black Sonora com a versão musical para a letra O mar pra mim, que integrou uma exposição no Museu Histórico Abílio Barreto em Belo Horizonte em dois mil e oito. Milena segue carreira de modo independente, mantém um blog de poesia no wordpress e divulga suas músicas em páginas na internet como Jamendo, Myspace e Reverbnation. O próximo passo é a gravação de um cd em estúdio com canções inéditas. Ocanii: Olhos de Caboclo. Cabelos de Negro. Instinto de Índio.



Playlists relacionadas

Home